A iluminação na decoração

Com uma função dupla – ser prática e decorativa – a luz natural e artificial é tão importante na decoração como escolher a palete de cores para a sua habitação. Aprenda como iluminar as diferentes divisões da sua casa.

Luz natural

Não há nada melhor do que uma casa abençoada com muita luz natural, conferindo-lhe níveis de conforto e bem-estar preciosos. Saiba como tirar o melhor proveito das diferentes divisões da casa, considerando o equilíbrio perfeito entre luz e cor.

  • O branco é a cor que melhor reflete a luz natural num quarto, no entanto, o uso de cores fortes também pode enaltecer as qualidades luminosas da luz do dia.
  • Um ambiente com janelas ou com clarabóias, apenas requer luz artificial a partir da noite. No entanto, como a sua iluminação natural será projetada em tons azulados, opte por decorar com cores e iluminação artificial mais calorosa.
  • Os ambientes que recebem forte luz solar na parte da tarde pedem persianas ou cortinas para proteger mobílias, carpetes, tapetes e outros objetos delicados. Com tanta luz natural, estes quartos devem fugir de tons como vermelho, amarelo ou laranja para não “sobreaquecer” o ambiente. Por esse mesmo motivo, a iluminação deve ser menos potente.
  • Os quartos que recebem menos luz natural e, consequentemente, menos sol, são ambientes mais frescos, por isso a iluminação e as cores quentes são as ideais para conseguir uma decoração mais aconchegante.

Luz artificial

  • A iluminação eléctrica como a conhecemos hoje está dividida em duas opções: as lâmpadas incandescentes que, emitindo uma luz quente em todas as direções, são utilizadas para a iluminação em geral; e as lâmpadas fluorescentes que, emitindo uma luz fria, difusa e sem sombras, são utilizadas em locais de atividade mais intensa.
  • As lâmpadas incandescentes consomem mais energia e acabam por serem mais caras do que as fluorescentes, uma vez que estas duram até 20 vezes mais que as primeiras.
  • Devido ao tipo de luz que projetam, não é aconselhado colocar lâmpadas fluorescentes nas zonas mais íntimas da casa, apenas nas denominadas áreas de trabalho. Para as zonas de descanso, prefira as lâmpadas incandescentes. Os espaços com muito sol beneficiam com a colocação de lâmpadas halogéneas que são mais frescas e claras do que as incandescentes, mas mais aconchegantes do que as fluorescentes. As lâmpadas de tons frescos são perfeitas para uma iluminação forte, sendo que o contrário também é verdade – as lâmpadas de tons quentes beneficiam ambientes com uma iluminação reduzida. A iluminação de espectro total é a ideal para casas que têm pouca luz natural e é a que melhor define as cores presentes na decoração.

via EuDecoro.com



Compartilhar: